quinta-feira, 28 de janeiro, 2021

Economia circular - clientes promovem mudanças

Os avanços registrados no decorrer deste ano indicam que a Unilever atingirá antes de 2025 – prazo inicialmente fixado – a meta de incluir ao menos 25% de resinas recicladas em suas embalagens, informa Juliana Marra, gerente de relações institucionais da empresa no Brasil. “E seguimos progredindo com inovação e design de embalagens”, acrescenta, citando como exemplo desse processo o detergente Omo para Diluir, cuja embalagem utiliza 75% menos material plástico.
No final do ano passado, lembra Juliana, a Unilever definiu que, em âmbito global, reduzirá em 50% o uso de plástico virgem em suas embalagens, obtendo ainda uma redução adicional de 100 mil toneladas na quantidade de resinas de uso único até 2025, mediante substituição por plástico reciclado. “Também nos comprometemos a coletar e processar mais embalagens plásticas do que disponibilizamos ao mercado: cerca de 600 mil toneladas de plástico”, diz.
No Brasil, as embalagens da Unilever consomem anualmente cerca de 50 mil toneladas de resina virgem. De acordo com Juliana, o uso dessa matéria-prima pela empresa tem hoje três diretrizes: menos, melhor e nenhum plástico. “Menos”, nesse caso, implica desenvolver novos formatos de embalagens e fórmulas mais concentradas de produtos, enquanto “melhor plástico” tem relação direta com resina reciclada. Na vertente do “nenhum plástico” há a busca por alternativas, como o desenvolvimento de refis e de produtos que dispensem embalagens, por exemplo, xampu em barra.
A operação brasileira da empresa também mantém projetos institucionais de compromisso com a economia circular. Casos, entre outros, da parceria com a rede Pão de Açúcar, que disponibiliza unidades para a instalação de coleta de material para reciclagem, e do apoio à So+Ma, startup que recompensa quem descarta corretamente os resíduos sólidos com pontos digitais que podem ser trocados por cursos, exames médicos, descontos em supermercados, entre outros itens, e que foi uma das vencedoras do projeto de internacional Social Innovation Challenge on Plastics.
Por sua vez, a Ambev anunciou em janeiro a intenção de eliminar totalmente, até 2025, a poluição gerada por suas embalagens plásticas. Desenvolvido com parceiros como o ValGroup – produtor e reciclador de embalagens plásticas – e a Associação Nacional de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis, esse projeto se apoia em três pilares: eliminação e substituição de plástico desnecessário; utilização de embalagens retornáveis e conteúdo 100% reciclado na composição de novas embalagens; investimento em inovação e tecnologias para circularidade, reciclagem e novos materiais.
Atualmente, embalagens plásticas envasam 18% de todo o líquido produzido pela Ambev, que hoje embala em PET reciclado 61% das garrafas de seu Guaraná Antarctica, e insere material reciclado em 37% do total de garrafas PET que utiliza. No ano passado, a empresa lançou uma água cuja embalagem é uma lata de alumínio, em vez da tradicional garrafa PET. E as embalagens packs de algumas de suas cervejas, como Budweiser, Stella Artois e Corona, são agregadas com papel-cartão e não mais com filmes encolhíveis de plástico.
- Antonio Carlos Santomauro
Plástico Moderno - 28/01/2021
Produtos relacionados
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2021 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP