quarta-feira, 27 de maio, 2020

Coronavírus: frigoríficos concentram um terço dos casos de covid-19 no RS

O Ministério Público do Trabalho (MPT) contabiliza 2.079 casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus entre trabalhadores de 21 frigoríficos distribuídos por 16 municípios do Rio Grande do Sul.
O número equivale a 32,1% dos 6.470 casos contabilizados pela Secretaria da Saúde do Estado até a tarde desta segunda-feira (25).
O número total de trabalhadores nas 21 unidades é de 24.488, incluindo os que testaram positivo. Esse montante, por sua vez, equivale a quase 40% da mão de obra do setor no Rio Grande do Sul, que emprega cerca de 65 mil pessoas. Juntamente com o oeste de Santa Catarina, o Estado concentra o maior número de casos de covid-19 em frigoríficos no Brasil.
"Esses são os mais recentes dados que possuímos, sobretudo em razão de grandes testagens em alguns frigoríficos", afirma a procuradora do Trabalho Priscila Schvarcz, gerente nacional adjunta da força-tarefa do MPT para adequação das condições de trabalho em frigoríficos.
Ela atribui o alto índice de contaminação ao funcionamento das unidades, com mão de obra intensiva, aglomeração no transporte e trocas de turno e ambientes refrigerados.
"Temos insistido muito na necessidade de as empresas adotarem um sistema de vigilância ativa diante da pandemia", diz Schvarcz.
O MPT afirmou não dispor da informação de quantos testes foram aplicados em trabalhadores de frigoríficos. O governo do Estado afirmou não possuir levantamento de quantos testes foram realizados no total desde o início da pandemia.
A Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul havia distribuído 10.871 caixas de testes rápidos de anticorpos (por amostra de sangue ou plasma), cada uma com 20 testes, aos municípios gaúchos até 14 de maio, num total de 217.420 testes.
Foram distribuídas também 3.060 caixas para estoque às 19 regiões de Saúde do Estado, a Secretaria de Segurança Pública e pesquisadores da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Desde 23 de março, o Rio Grande do Sul só aplica testes RT-PCR, considerados mais precisos, em pacientes em estado grave e profissionais de saúde.
Trinta instalações de empresas frigoríficas são alvo de inquéritos civis instaurados pelo MPT em razão da covid-19. Outras 13 já funcionam ou estão em vias de retomar atividades por meio de Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) firmados com o órgão, que incluem testagem de 100% dos funcionários, redução do número de trabalhadores por turno e distanciamento social, entre outras medidas.
A primeira reclamação sobre aglomeração, em um estabelecimento do Grupo JBS, em Passo Fundo, foi recebida pelo MPT em 27 de março. Até 15 de maio, o órgão já havia identificado casos em 19 frigoríficos. Nos últimos 10 dias, foi registrada ocorrência da doença em mais dois estabelecimentos.
Dois frigoríficos foram interditados e um teve atividade reduzida no Estado desde o início da pandemia. Além do estabelecimento da JBS em Passo Fundo, por decisão do Tribunal do Trabalho da 4ª Região, uma unidade da BRF em Lajeado teve de paralisar atividades por determinação do Tribunal de Justiça do Estado.
A Justiça Estadual determinou também a redução em 50% dos abates da unidade da Companhia Minuano, de Lajeado.
Distante 112 quilômetros de Porto Alegre, Lajeado é o município gaúcho com maior incidência de casos de covid-19 por 100 mil habitantes (1.108,4) e o terceiro em número de mortes (16).
Passo Fundo, distante 288 quilômetros de Porto Alegre, é a segunda em número de mortes (29), atrás da capital, com 30. O município apresenta incidência da doença por 100 mil habitantes de 244,5, mais de seis vezes o índice da capital.
No sistema de monitoramento adotado pelo governo do Estado, Lajeado e Passo Fundo estão sob bandeira laranja, que designa risco médio. Nenhuma das 20 regiões de monitoramento recebeu bandeiras vermelha e preta, de risco alto e altíssimo, na semana de 25 a 31 de maio.
G1 -26/05/2020
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2020 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP