quarta-feira, 13 de novembro, 2019

Marca lança cosméticos veganos com apoio de empresas juniores da USP

Cosméticos veganos, naturais e acessíveis. Essa é a aposta da empresa Ambar Cosmetics para entrar em um mercado que já movimentou R$ 30,4 bilhões de janeiro a julho deste ano, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec). A marca foi idealizada e é gerida só por mulheres: as irmãs Raquel de Souza Lima, bióloga, e Dakla de Souza Lima, publicitária e filósofa, Sara de Souza Lima, farmacêutica em formação, e Juliana Varie Tsuchida, quiropraxista. A ideia surgiu de suas próprias vivências e necessidades por lidarem diariamente com as questões da sensibilidade, dermatites e alergias aos compostos de alguns cosméticos. Elas querem oferecer produtos naturais, veganos, livres de crueldade animal e com preços acessíveis, uma nova opção para os consumidores brasileiros. Elas procuraram empresas juniores da USP, que são geridas por estudantes, para auxiliá-las na criação da Ambar Cosmetics. A Farma Júnior, empresa do curso de Farmácia da USP, em São Paulo, contribuiu com a pesquisa de tonalizantes e formulação de produtos, como cremes e batons. “Coordenar o time de projetos e conseguir uma formulação que atendesse às necessidades das clientes foram os maiores desafios”, conta a estudante Karen Richarde dos Santos, da Farma Júnior. Outra empresa júnior que participou do empreendimento foi a Marketing Júnior, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP. Eles realizaram a pesquisa de mercado e o planejamento de comunicação da marca. “Na primeira etapa, além de buscarmos compreender quais cosméticos as pessoas mais compram, era preciso saber quais mais causam alergias”, explica o estudante de Marketing Yuri Dallabrida, diretor de projetos da empresa júnior. A pesquisa de mercado buscou compreender os possíveis concorrentes e quais as melhores estratégias para o lançamento da marca. “Queríamos entregar uma solução completa para elas, mas havia outros elementos a serem pensados”, conta Yuri, se referindo à abertura da empresa e toda a questão jurídica relacionada ao negócio. Aí entrou o trabalho da Sanfran Jr, empresa também gerida por estudantes, neste caso, da Faculdade de Direito (FD) da USP. A Ambar Cosmetics ainda não possui produtos disponibilizados, pois está em fase de desenvolvimento. Mesmo assim, tem grande projeções para o futuro. “Nossa visão é simples e única: nós queremos ser uma referência global na indústria da beleza para pessoas com peles sensíveis, e nós seremos”, afirma Raquel de Souza Lima, uma das fundadoras. Segundo a bióloga, a Ambar tem como pilares a transparência, para que as pessoas saibam sobre os componentes do produto e sintam-se seguras ao usá-lo, a segurança em relação aos insumos utilizados na formulação e a representatividade, buscando atingir diferentes públicos. É possível entrar em contato com a marca por meio da página no Instagram. Sobre as empresas juniores Para desenvolver o empreendedorismo na Universidade, empresas juniores ajudam a desenvolver a autonomia e liderança dos estudantes. São entidades sem fins lucrativos, criadas e geridas por alunos dos cursos de graduação da USP. Elas oferecem serviços e criam projetos de temas variados. A Farma Júnior, por exemplo, realiza entre outras coisas formulação cosmética, treinamento em farmácia e análise microbiológica. É possível entrar em contato por meio do e-mail contato@farmajunior.com.br.
Jornal da USP - 12/11/2019
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2019 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP