segunda-feira, 22 de fevereiro, 2021

Katayama Alimentos anuncia investimentos para manter forte crescimento

Com um aumento de 25% no volume de produção e de 40% no faturamento de 2020, os resultados da Katayama Alimentos, umas das principais indústrias avícolas do País, ilustram o bom desempenho do mercado de ovos em 2020. De acordo com dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), no ano passado o consumo per capita de ovos atingiu a marca de 250 unidades por habitante/ano – crescimento de 8,5% sobre 2019. A produção nacional bateu recorde, com cerca de 54 bilhões de unidades (em 2019 foram 49 bilhões).
Com uma trajetória de quase 80 anos, a Katayama Alimentos, localizada em Guararapes (SP), tem registrado um gráfico ascendente em sua produção de ovos, totalmente livres de antibióticos. No acumulado de 2016 a 2020, o crescimento foi de 78%.
De acordo com Gilson Katayama, diretor comercial do Grupo Katayama, a indústria fechou o ano passado com uma produção de 1 bilhão de ovos, gerados por um plantel de 4 milhões de galinhas entre recria e postura e mais 250 mil codornas. “Apesar do ano totalmente atípico, onde houve redução dos estoques, receio de desabastecimento e forte oscilação de preços, conseguimos completar nosso portfólio de produtos, fidelizar clientes e realizar muitas ações que nos trouxeram maior visibilidade perante o mercado. Isso possibilitou conquistar algumas contas estratégicas em 2020”.
- Números otimistas para 2021
Diante da previsão de recuperação gradual da economia em 2021, alguns levantamentos do mercado apontam que o consumo de ovos, que têm preços mais baixos frente às demais proteínas de origem animal, deve se manter elevado. Na previsão da ABPA, a produção nacional deve aumentar 5% e o consumo per capita atingir 265 unidades/ano.
Na Katayama Alimentos os números projetados para este ano são ainda mais agressivos: 10% de incremento no plantel de aves de postura, ou seja, um acréscimo de 280 mil aves (entre galinha e codorna), com a construção de dois novos aviários e investimento de R$ 15 milhões. “Sendo assim, vamos aumentar em 15% nossa produção de ovos, que passará para 1,15 bilhão até o segundo semestre de 2022”, revela o executivo com muito otimismo.
Este ano também terá início a construção da primeira unidade de aves caipiras com capacidade produtiva para 120 mil animais (ou 100 mil ovos/dia). O aporte previsto para o novo espaço, que deverá ser finalizado ao final de 2021, será de R$ 10 milhões. Para este ano, o faturamento anual previsto da Katayama Alimentos representará um aumento de 30% comparado a 2020.
- Perspectivas e novidades
Em 2022 a Katayama Alimentos iniciará a construção do novo núcleo de produção de ovos. O projeto chamado “Pé de Galinha” terá capacidade para 1 milhão de aves e produção anual de 320 milhões de ovos. O investimento previsto é de R$ 80 milhões, com cronograma de implantação para dois anos, mas com produção já iniciando no primeiro trimestre de 2023. Também em 2023 terá início a construção da segunda unidade de galinhas caipiras, com capacidade projetada para 360.000 aves.
Além dos ovos “in natura”, a Katayama Alimentos introduziu em seu portfólio os ovos pasteurizados, para atender uma alta demanda de mercado, principalmente da indústria alimentícia e do segmento de food service. A produção atual de ovos líquidos é de 350 ton/mês e dos ovos desidratados (em pó) é de 30 ton/mês. Em uma planta moderna, estes ovos são processados diariamente e conduzidos diretamente da unidade produtiva por esteiras transportadoras, garantindo um produto muito fresco e de alta qualidade.
- Mercado externo
Continua sendo estratégia da Katayama Alimentos incrementar o comércio externo, diversificando seus canais de venda. Para isso, além da participação em feiras internacionais e de ações de marketing, a empresa fechou uma parceria com a Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade (InvestSP) para o estabelecimento de escritórios regionais no Oriente Médio, Ásia e África.
A Certificação Halal, conquistada pela Katayama Alimentos, tanto para o ovo “in natura” como para o ovo industrializado, também é outro importante diferencial da empresa para acessar o mercado muçulmano. A meta atual é destinar 10% da produção à exportação, representando um faturamento da ordem de US$ 8 milhões por ano.
“Apresentamos vantagens frente aos países europeus e ao Japão, que estão passando por uma grave crise de gripe aviária. Nós temos um mercado bastante interessante do ponto de vista de segurança alimentar e potencial para atender esses países como fonte de originação de ovos. No caso da Katayama Alimentos, toda a nossa produção conta com o certificado ‘Ovos Livres de Antibióticos’”, explica o diretor comercial.
No final do ano passado a indústria avícola fechou o primeiro contrato de exportação do ovo desidratado para o mercado de Bangladesh, no Sul da Ásia e, em janeiro deste ano, embarcou três contêineres com ovos “in natura” para os Emirados Árabes Unidos.
Mirian Gasparin - 19/02/2021
Produtos relacionados
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2021 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP