quarta-feira, 13 de janeiro, 2021

Demanda por bens industriais sobe 2,3% em novembro, aponta Ipea

A demanda interna por produtos industriais avançou 2,3% em novembro na comparação com outubro, informou nesta terça-feira (12) o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Indicador Ipea Mensal de Consumo Aparente de Bens Industriais observa a parcela da produção industrial doméstica destinada ao mercado interno, acrescida das importações.
Com o resultado, que vem após uma alta modesta de 0,2% no indicador em outubro ante setembro, o trimestre móvel encerrado em outubro mostra avanço de 12,4% na comparação com o período anterior, atestando a retomada da demanda por produtos industrializados após os meses mais agudos da pandemia de Covid-19.
No ano, o indicador ainda acumula queda de 7,1% e, em 12 meses, recuo de 6,9%. Ambos os indicadores negativos acumulados têm sido menores a cada mês.
Apesar da alta no dado geral de outubro, o desagregado de seus componentes mostra que a produção interna destinada ao mercado nacional (bens nacionais) caiu 0,5% em novembro, sustentando o movimento negativo registrado na margem em outubro (- 0,7%).
As importações de bens industriais aumentaram 20,2%, resultado que ajuda a compensar o fraco desempenho dessa frente em meses anteriores. No trimestre móvel, a demanda de produção doméstica avançou 10,5%, enquanto aquela relativa às importações subiu 19,8%.
Na comparação com novembro de 2019, informou o Ipea, a demanda interna por bens industriais cresceu 2,3%. Ainda assim, quando considerado o trimestre móvel nessa base de comparação, houve queda de 0,8%. Na base interanual, o consumo de bens nacionais foi 0,5% maior em novembro, e o de bens importados, 11% mais intenso — resultado positivo que vem após meses de recuos: -17,5%, em outubro e -20,9%, em setembro.
Com relação às grandes categorias econômicas, os técnicos do Ipea definem o bom desempenho do indicador ante outubro como "generalizado". A demanda por bens de capital, um dos componentes dos investimentos, registrou alta de 8,9%, enquanto os bens semiduráveis e não duráveis cresceram 2,6%. A demanda por bens intermediários avançou 2,2% na comparação com outubro. Ante novembro de 2019, a demanda apresentou variações positivas em todos os segmentos.
Nas classes de produção, a demanda interna por bens da indústria de transformação também avançou, registrando alta de 3,8% sobre outubro. A demanda da indústria extrativa mineral, por sua vez, retrocedeu 11,9% na mesma comparação.
O consumo avançou em 16 de um total de 22 segmentos industriais, aumentando o índice de difusão — que mede a porcentagem dos segmentos da indústria de transformação com o aumento em comparação ao período imediatamente anterior — para 73%, ante os 68% de setembro. Entre aqueles com peso relevante, os destaques foram os segmentos outros equipamentos de transporte e borracha e plástico, com altas de 15,8% e 11,8% em novembro ante outubro.
G1 - 12/01/2021
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2021 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP